Reconhecida autenticidade de 7 obras de Aleijadinho de vários períodos

Sete esculturas até então desconhecidas do mestre do barroco mineiro Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, acabam de receber laudos de atribuição que confirmam sua autenticidade. As peças foram garimpadas em antiquários e coleções particulares pelo pesquisador José Marcelo Galvão de Souza Lima, de Itu, região de Sorocaba. São imagens de santos em madeira.Os laudos são assinados pelo historiador mineiro Márcio José da Cunha Jardim, autor do Catálogo Geral da Obra do Aleijadinho. Jardim comparou as peças com outras obras do artista e identificou nelas as características comuns, os chamados estilemas. O historiador estimou como sendo da fase inicial do artista, entre 1761 e 1770, as imagens de São Joaquim e de São Sebastião. Uma Sant?Ana Mestra, feita provavelmente entre 1771 e 1780, fase de maturidade média do Aleijadinho, foi considerada rara por apresentar a santa em pé, com a Virgem Maria no colo - tradicionalmente Sant?Ana é representada num trono com a filha ao lado. Outras quatro imagens - São Domingos de Gusmão, São Tiago Maior, Nossa Senhora do Carmo e São Francisco de Paula - teriam sido feitas na fase de maturidade plena, entre 1781 e 1790. Os laudos foram emitidos em abril.As esculturas serão mostradas numa exposição do Museu Histórico do Exército, no Forte de Copacabana, no Rio, entre 15 de maio e 21 de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.