Reconstrução do Rio pode custar até R$ 250 milhões

Prefeito Eduardo Paes (PMDB) autorizou início imediato de todas obras necessárias para liberar acessos ao Parque Nacional da Tijuca e ao Cristo Redentor

Priscila Trindade, do estadão.com.br

13 de abril de 2010 | 16h56

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse nesta terça-feira, 13, que irá elaborar um mapeamento geológico detalhado da cidade atingida pela chuva para identificar as encostas e as regiões que podem ou não receber reassentamento. A recuperação da cidade deve custar entre R$ 200 e R$ 250 milhões.

Veja também: 

link Deslizamentos fecham Bondinho do Corcovado

link Número de vítimas por chuvas no Rio chega a 247

link Rio e Niterói recebem 140 toneladas de donativos

video VÍDEOS - Chuvas no Rio, pelos cinegrafistas anônimos

especial ESPECIAL - Os locais afetados pelas chuvas

mais imagens GALERIA - Fotos mostram o drama da chuva

Segundo Paes, a prefeitura fechou ontem boa parte dos valores relativos à recuperação da cidade, o que incluiria repavimentação de ruas e limpeza do leito dos rios, num total em torno de R$ 200 milhões. Ele destacou ainda que autorizou o início imediato, pela GEO-Rio, de todas as obras necessárias para liberar os acessos ao Parque Nacional da Tijuca e ao Cristo Redentor. As obras estão avaliadas em R$ 5 milhões.

 

Na manhã de hoje, o prefeito se reuniu com representantes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) e do Ministério Público Estadual para mostrar os planos de reassentamento e indenização para as famílias desabrigadas. No Tribunal de Justiça, o prefeito esteve com o presidente do TJ-RJ, Luiz Zveiter, e os juízes das varas de Fazenda Pública da Capital. No MPE, Paes se encontrou com o procurador-geral de Justiça, Cláudio Soares, e com promotores de diferentes áreas. 

Também foram entregues pelo prefeito cópias dos laudos técnicos da GEO-Rio e da Defesa Civil Municipal recomendando a retirada imediata dos moradores de oito comunidades - Urubu (Pilares), Prazeres (Rio Comprido), Fogueteiro (Centro), São João Batista (Botafogo), Cantinho do Céu e Pantanal (parte da comunidade do Turano, na Tijuca), Laborioux (Rocinha) e Parque Columbia (às margens do Rio Acari).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.