Recuperação de cidades atingidas pela lama é acelerada

Um total de 540 técnicos de policiais mineiros estão na região de Miraí, na zona da mata de Minas Gerais, que foi atingida pelo rompimento da barragem da mineradora Rio Pomba Cataguases, na quarta-feira. Equipes do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema), da Secretaria de Estado da Saúde, do Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora, da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-MG) prestam atendimento de urgência à população atingida nas cidades de Muriaé e Miraí.O DER trabalha para recuperar ruas, estradas e pontes danificadas ou destruídas na região de Miraí e Muriaé, atingida pelo rompimento de barragem da mineradora Rio Pomba Cataguases. A Coordenadoria de Defesa Civil (Cedec) prossegue com o seu trabalho de distribuição de alimentos, roupas e material de construção nas cidades atingidas pelo rompimento de barragem da mineradora Rio Pomba Cataguases.Em Miraí e Muriaé, já foram distribuídas 1.700 cestas básicas, 800 colchões e 700 cobertores, além de medicamentos e material de limpeza. Nesta sexta-feira, caminhões hidrojatos enviados pelo governo do Estado devem chegar a Miraí para auxiliar na limpeza das ruas e bueiros. A Copasa disponibilizou 38 caminhões-pipa para auxiliar na limpeza e na distribuição de água potável para a população. A empresa também distribuiu cerca de 180 mil copos de água potável para atendimento das cidades atingidas, inclusive as do Rio de Janeiro. DesabrigadosO Governo de Minas confirmou nesta sexta-feira que equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais iniciam um levantamento dos prejuízos materiais provocados pelas chuvas no município de Muriaé, na Zona da Mata. As equipes percorrerão casa por casa das áreas afetadas nas zonas rural e urbana.A Prefeitura de Muriaé disponibilizou três abrigos para apoiar o trabalho da Cedec de atendimento às famílias atingidas. Em Miraí, sete bairros foram atingidos pelo rompimento da barragem da mineradora Rio Pomba Cataguases, deixando 46 pessoas desabrigadas e 500 desalojadas, que estavam sendo atendidas em igrejas e escolas. No total, 2 mil pessoas foram atingidas pelo acidente no município.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2007 | 09h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.