Recurso divide governo; caberá a presidente decidir

A decisão de recorrer da sentença será política e passará por Lula, uma vez que o governo está dividido. No Planalto, a reação inicial era de que o melhor caminho seria acatar a medida, porque significaria uma ''saída honrosa'' para o Exército, que deixaria a Providência, onde é hostilizado. Já o Exército entende que precisa recorrer porque a missão - dar segurança a uma obra social - é a mesma que cumpre em outras áreas do País, como na Amazônia. E a Força "tem interesse em permanecer no morro para limpar a área, tirando bandidos" - nesse caso, só a presença do Exército inibiria o crime. Por fim, o Comando considera aberração ter a Força Nacional como segurança de uma obra que está tocando.

Tânia Monteiro, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.