Rede de distribuição de gás de SC teve rompimento em 2 pontos

Nesta segunda, dos 46 municípios atendidos pela rede de distribuição, apenas seis mantinham o suprimento

Sandra Hahn, da Agência Estado,

24 de novembro de 2008 | 16h54

Os deslizamentos de terra provocados por constantes chuvas causaram danos em dois pontos de distribuição de gás em Santa Catarina no final de semana. O primeiro acidente ocorreu no sábado no Km 41,5 da BR-470 em Gaspar, em Santa Catarina, na rede de distribuição da SCGás. O rompimento da rede gerou incêndio - controlado, sem deixar feridos - e o suprimento de gás foi cortado para cinco municípios catarinenses: Blumenau, Timbó, Gaspar, Pomerode e Indaial.   Arte estadao.com.br   Veja também: 160 mil pessoas ficam sem energia elétrica em SC  Chuva deve continuar até 4ª; situação é crítica  Serra quer enviar ajuda a vítimas das chuvas em Santa Catarina Deslizamentos são fator mais dramático em SC, diz governador Chuva interdita estradas federais em Santa Catarina Chuvas interrompem abastecimento de gás em parte de SC Blog é criado para ajudar moradores afetados em Blumenau    No domingo, houve rompimento no gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol) no bairro Belchior, em Blumenau. Com o acidente, foi fechado o fornecimento a quase todo o território catarinense e, conseqüentemente, suspenso também o envio ao Rio Grande do Sul.   Nesta segunda, entre 46 municípios catarinenses atendidos pela rede de distribuição da SCGás, apenas seis mantinham o suprimento, no norte do Estado, informou o presidente da companhia, Ivan Ranzolin. As equipes técnicas da empresa trabalham no reparo à rede atingida em Gaspar, refazendo o trecho afetado do outro lado da BR-470. Contudo, ainda não foi possível alcançar o ponto de avaria no Gasbol, que é operado pela Petrobras, por causa das chuvas incessantes relatou o dirigente.   A indústria de cerâmica é uma das mais prejudicadas pelo corte do fornecimento em Santa Catarina. Apenas Cecrisa, Eliane e Portobello consomem cerca de 400 mil metros cúbicos diários de um fornecimento de 1,3 milhão de metros cúbicos da SCGás. Outra preocupação da companhia, quando os reparos em sua rede forem finalizados, será revisar a extensão dos dutos na BR-470, já que as chuvas colocaram vários pontos sob risco de deslizamento, explicou Ranzolin. No total, a SCGás entrega o combustível a 75 postos de gás natural veicular e a cerca de 130 indústrias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.