Rodney Costa/Altaphoto
Rodney Costa/Altaphoto

Rede hospitalar particular de BH bate recorde e atinge 100% de ocupação de leitos de UTI para covid

Relatório da prefeitura aponta que cidade chegou nesta quarta-feira a 102,8% dos 353 leitos

Leonardo Augusto, especial para o Estadão

17 de março de 2021 | 19h28

BELO HORIZONTE - Pela primeira vez durante a pandemia do novo coronavírus não há mais leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) para pacientes com covid-19 na rede hospitalar particular da capital mineira. Relatório da prefeitura aponta que a ocupação de UTIs para o tratamento da doença no sistema de saúde privado da cidade atingiu nesta quarta-feira, 17, 102,8%. Os hospitais particulares de Belo Horizonte têm juntos 353 leitos de unidade de terapia intensiva para covid-19.

A ocupação de UTIs para tratamento da doença no sistema público de saúde do município também está próxima do estrangulamento, com 91,1% de um total de 393 leitos em utilização. No cômputo geral, juntando redes pública e privada, Belo Horizonte tem nesta quarta-feira 96,6% de ocupação de leitos de UTI.

Assim como na maior parte do Brasil, a ocupação de unidades de terapia intensiva na capital vem registrando altas diárias consecutivas. Nesta terça-feira, 16, a ocupação geral era de 94,1%. As elevações vêm ocorrendo mesmo com a abertura, sobretudo pela prefeitura, de mais leitos de UTI na cidade. A reportagem entrou em contato com a Central dos Hospitais, que representa estabelecimentos privados de saúde em Belo Horizonte, e aguarda retorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.