Redes sociais na web focaram evento já no meio da tarde

O primeiro debate desta campanha eleitoral entre os candidatos à Presidência começou pouco depois das 22h, na Bandeirantes. Mas, muito antes disso, os comentários sobre o encontro entre Dilma Rousseff, José Serra, Marina Silva e Plínio de Arruda Sampaio na TV já movimentavam discussões na internet.

José Orenstein, estadão.com.br, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2010 | 00h00

Por volta das 15h, o candidato do PSDB agradeceu as sugestões de seus seguidores no Twitter para o debate. Duas horas depois, Plínio lembrou: "Hoje tem o debate da Band. Não percam."

Marina postou mensagem por volta das 19h: "Espero vocês logo mais no debate. Reúnam amigos e família. Todos juntos pelo Brasil que queremos." Já Dilma Rousseff não se manifestou em sua conta pessoal. Mas o Twitter de sua campanha anunciou, por volta das 20h45, a cobertura ao vivo do debate.

Foi durante o programa que o clima esquentou na web. Nas primeiras eleições em que as redes sociais começam a pesar na campanha, algumas figuras políticas comentaram em tempo real.

Enquanto Marta Suplicy, do PT, escrevia via Twitter dos estúdios da Band que Serra perdia o rumo, Índio da Costa, do DEM, dizia que Dilma gaguejava em suas respostas.

Por volta das 23h30, os nomes dos quatro candidatos do debate figuravam entre os dez mais citados no Twitter pelo mundo.

E, em primeiro lugar, nem Dilma, nem Serra, tampouco Marina. O azarão da corrida eleitoral, Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, fez valer o ditado de que os últimos serão os primeiros, ao menos na internet: era o líder em citações no Twitter, à frente até mesmo de Rogério Ceni, goleiro e ídolo do São Paulo que jogava a semifinal da Copa Libertadores, no estádio do Morumbi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.