Redesenho da Nova Luz custará até R$ 12 milhões

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) de São Paulo lançou ontem o edital de concorrência para selecionar uma empresa ou consórcio que ficará responsável por desenhar o projeto de reurbanização da Nova Luz (antiga cracolândia), no centro da capital paulista. A pasta estipulou um teto de R$ 12 milhões a investir no projeto. Vencerá a licitação quem atender a dois requisitos: experiência, que terá peso maior na decisão, e menor preço estipulado. O vencedor deve ser selecionado dentro de 45 dias. Podem participar empresas nacionais ou estrangeiras, que terão de seguir um conjunto com mais de 50 diretrizes para a recuperação da área durante a confecção do projeto. Deverão ser apontados os terrenos onde a Prefeitura poderá implementar a concessão urbanística - transferindo à iniciativa privada a prerrogativa de realizar desapropriações. Haverá também uma lista de obras viárias e de infraestrutura a serem implementadas na região. A Prefeitura aposta no adensamento populacional da região da Nova Luz como uma das principais estratégias para recuperar a área - alvo recente de uma ação contra usuários de drogas. A ideia é atrair até 350 habitantes por hectare, o que significa, pelo menos, mais 8 mil moradores ali. A densidade prevista é superior à de todos os distritos da capital - Bela Vista, hoje o recordista, tem 222 habitantes por hectare. Hoje, cerca de 10 mil pessoas moram na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.