Redução de vantagem em pesquisa deve levar Lula a debate, afirma cientista

O cientista político e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fábio Wanderley Reis, afirmou nesta quinta-feira que a redução da vantagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com relação aos outros adversários, praticamente direciona o petista a participar do debate de hoje à noite na Rede Globo. "Acredito que Lula deve estar se vendo um pouco forçado a participar do debate, em razão da redução da vantagem para os outros concorrentes", destacou. A última pesquisa do Datafolha aponta que Lula agora tem apenas 5% a mais de intenções de votos do que os adversários somados. Na pesquisa anterior, o número era de 8%.Apesar de não acreditar no segundo turno, o professor salienta que a não ida de Lula ao debate é um fator negativo para sua imagem. "Com a cadeira vazia, poderia passar a imagem de fujão e de que estaria tentando não enfrentar as recentes denúncias", considerou. Ele avalia que a participação no debate não abalará a candidatura do presidente. "O grosso do eleitorado do Lula, que é uma camada popular, não deve acompanhar o debate. São trabalhadores que acordam cedo e não vão ficar até tarde da noite acompanhando o embate", reiterou.O professor da UFMG aposta na reeleição. "Pois mesmo com o escândalo do dossiê, Lula não perdeu pontos, apenas oscilou dentro da margem de erro, como apontam as pesquisas", emendou. Fábio Wanderley disse também que tanto a pesquisa Datafolha quanto a pesquisa Ibope, também divulgada na quarta, apontam para uma convergência deste cenário, indicando a vitória de Lula no dia 1º de outubro.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2006 | 15h55

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.