Reeleição de Lula significa manutenção da política econômica, diz Mantega

Cuidadoso ao falar sobre o tema eleições, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira que a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva significará "a continuidade da atual política econômica". A única diferença da política econômica em uma nova gestão petista, segundo ele, será a conjuntura, que permitirá um crescimento mais robusto e uma política monetária não tão vigorosa. "Se eu puder sintetizar esta política, ela tem como objetivo central o crescimento robusto da economia como geração de renda e emprego", afirmou. O ministro acrescentou que não existe qualquer perspectiva de choques de ordem fiscal, monetário ou cambial. Questionado sobre o espaço que o BC terá para cortar juros nos próximos anos, Mantega lembrou que os fundamentos econômicos hoje estão mais sólidos, as contas públicas equilibradas e os artificialismos usados na economia no passado mostraram-se inconsistentes. Neste sentido, Mantega destacou que é perfeitamente possível que o País cresça a taxas anuais de 5% nos próximos anos, com expansão da taxa de investimentos e sem risco de pressões inflacionárias. Segundo o ministro, o PIB potencial (aquele atingido caso todas as máquinas, toda a capacidade de produção da economia, fosse utilizada) já encontra-se neste patamar. "Com os investimentos feitos até hoje, podemos crescer 5% ao ano sem gerar inflação", disse. Ele participou hoje 46ª Assembléia Geral da Federação Mundial de Bolsas "WFE", na sigla em inglês, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.