Refém é libertado após 43 dias de seqüestro

Após mais de cinco horas de negociação, acabou às 12h06 desta quarta-feira, 16, o seqüestro de um homem de 57 anos, na zona sul de São Paulo. Os dois seqüestradores que mantinham o homem no cativeiro foram presos. Sem ferimentos, a vítima, que ficou 43 dias em poder dos seqüestradores, foi levada para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes, no Jabaquara, na zona sul de São Paulo.A Polícia Militar (PM) descobriu na manhã desta quarta-feira, 16, o cativeiro, na favela da Vila Clara, no bairro de Americanópolis, também na zona sul. Os dois seqüestradores estavam fortemente armados, inclusive com metralhadoras, segundo informaram policiais. Por volta das 6 horas desta manhã, um carro da PM passou em frente ao cativeiro e, pensando ter sido descoberto, um dos seqüestradores disparou contra os policiais, que revidaram. O homem que abriu fogo contra o carro da polícia morreu e outros dois seqüestradores ficaram dentro do cativeiro com o refém. A única exigência dos criminosos, segundo a polícia, foi a garantia de vida e a presença de uma equipe de televisão.A Tropa de Choque da PM e o Grupo de Operações Especiais (GOE) assumiram a negociação, por volta das 6h50. Cerca de 30 carros da polícia estão no local, dando apoio para a ação. Às 11h50, o Grupo Especial de Resgate da Polícia Civil chegou ao local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.