Reféns de internos da Febem em Marília são libertados

Um funcionário e um interno da Febem - Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor -, feitos reféns dos internos da unidade de Marília, no interior de São Paulo, foram liberados após mais de seis horas de negociação, encerrada ao amanhecer deste domingo, e que envolveu a direção da entidade, o promotor da Vara da Infância e Juventude, Jurandir Afonso e o comando da Polícia Militar.O interno que se recusou a participar do movimento e o funcionário, que não tiveram os nomes divulgados, ficaram em poder dos rebelados. Com crise nervosa, chorando e descontrolado, o menor foi libertado pelos colegas, que da muralha do prédio gritavam estar sofrendo agressão e maus tratos dos agentes.Por exigência dos rebelados, o promotor Jurandir Afonso chegou por volta das 3h30 e teve participação direta e decisiva no fim da rebelião, após ouvir as reclamações e reivindicação de melhores condições por parte dos internos. Esta é a segunda revolta na unidade de Marília em menos de dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.