Reféns de rebelados em Minas estão encostados a botijões de gás

Dois agentes estão encostados a botijões de gás e um terceiro serve como porta-voz dos presos da penitenciária José Maria Alckmin, em Ribeirão das Neves, região Metropolitana de Belo Horizonte, em que uma rebelião de detentos já dura mais de 20 horas. Os agentes Marco Aurélio de Souza e Rogério Augusto Lopes Barbosa estão ameaçados por botijões de gás. O terceiro refém, o agente Benjamin Roberto da Silva, informou por telefone celular que os presos têm dois revólveres e uma granada.Benjamim Roberto da Silva disse no telefonema que os presos reclamam das revistas feitas por policiais a seus familiares, em dias de visita. Os detentos também querem melhorias na alimentação. O fim da rebelião está condicinado à uma garantia formal da polícia de que não haverá violência na revista às celas. O telefone celular pelo qual foi feito contato entre os presos e a imprensa pertence aos presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.