Reforma na Sé fica para depois do aniversário de São Paulo

A reforma da Praça da Sé, iniciada em maio de 2006, pode não terminar antes da festa pelos 453 anos da capital, dia 25 de janeiro, como era a intenção do prefeito Gilberto Kassab (PFL). O secretário de Coordenação das Subprefeituras e subprefeito da Sé, Andrea Matarazzo, disse na segunda-feira que as constantes chuvas no final de 2006 atrasaram a colocação de terra nos canteiros. "É possível que só ocorra uns 10 dias depois." Já a Praça da República, também em obras há sete meses, deverá ficar pronta a tempo.Com o objetivo de facilitar a circulação de pedestres e melhorar o aspecto paisagístico, a reforma das praças é parte do projeto de revitalização do centro. O custo das obras é de R$ 7,2 milhões - R$ 4,1 milhões na Sé e R$ 3,1 milhões na República. Do total, R$ 6,4 milhões vieram de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).Na Sé, foram rebaixadas jardineiras e canteiros suspensos e escadas foram substituídas por rampas. A fonte foi reativada e o espelho d´água, recuperado. As melhorias na República incluem, além do rebaixamento dos canteiros, a troca do calçamento dos passeios por lajotas iguais às originais.A inauguração das praças fazia parte de um pacote de "presentes" do prefeito à cidade, como o início da operação do primeiro trecho do Expresso Cidade Tiradentes, a entrega de novos ônibus e o anúncio dos programas de reforma das escolas municipais - antecipado na segunda-feira pelo Estado - e da extinção do terceiro turno dos alunos da rede pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.