Reforma para ampliação de Congonhas termina em julho

O desconforto nas salas de espera,as longas filas no check-in e a demora para retirar a bagagemtêm prazo para acabar, ou pelo menos diminuir, no Aeroporto deCongonhas. A conclusão dos trabalhos de ampliação do terminal depassageiros está programada para julho. Com o término das obras,o espaço para os viajantes vai passar de 37.300 mil para 51.535mil metros quadrados. A obra está na fase de instalação das estruturas dasplataformas onde funcionarão as salas de embarque. Pelocronograma, ainda este mês será iniciada a etapa de revestimentodessas áreas. Depois da reforma, Congonhas terá capacidade parareceber 12 milhões de pessoas por ano, o dobro do que recebeatualmente. O número de balcões de check-in passará de 77 para 92,as esteiras de bagagem serão quatro em vez de duas e o total delojas chegará a 55 - hoje são 45. Outra mudança será a forma deembarque. Serão construídas oito pontes (fingers) para levar ospassageiros ao avião. Hoje eles seguem de ônibus. Serão investidos R$ 45 milhões. "Esperamos que até julhotodas as melhorias estejam prontas", disse o superintendente daRegional Sudeste da Infraero, Miguel Choueri. Além disso, estáprevista a construção de um edifício-garagem, que aumentaria onúmero de vagas de estacionamento no aeroporto de 1.100 para2.500. O projeto ainda está em negociação com a Prefeitura. O professor universitário Dirceu Vieira, de 52 anos,lamenta que o aeroporto esteja ficando "obsoleto, feio". Todasemana ele viaja para fazer palestras e enfrenta a esperadesconfortável na sala de embarque e até dentro do avião. "Há umnúmero excessivo de vôos, então às vezes a gente fica muitotempo esperando a decolagem." Congonhas é o aeroporto com maior número de pousos edecolagens na América Latina. A média diária de janeiro a agostochegou a 615 - em 2002, foi de 711. O total de passageirostambém vem caindo: de 2002 para cá passou de cerca de 27 milpara 26 mil por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.