Reforma revela documentos enterrados há 36 anos

Durante as obras de reforma da Praça 9 de Julho, em Sorocaba, interior de São Paulo, funcionários da empresa contratada pela prefeitura descobriram uma urna com documentos e objetos relativos à Revolução Constitucionalista de 1932, enterrados no local há trinta e seis anos. O acervo, que inclui um capacete de metal e partes do uniforme usado por ex-combatentes e a relação de soldados sorocabanos que participaram da luta, foi enterrado durante o lançamento da pedra fundamental do monumento à Revolução, em 9 de julho de 1965. A data corresponde à de vários exemplares de jornais da época, encontrados junto com os documentos e objetos. O acervo estava em uma caixa de alvenaria construída sob a base de granito do monumento. Os documentos haviam sido dispostos no interior de um tubo de folha de flandes com tampa. Como houve infiltraçao de água, o material ficou parcialmente deteriorado. O achado está sendo restaurado pela seção de Patrimonio Histórico e Cultural do município. Os documentos e objetos serão relacionados e acondicionados em uma caixa impermeabilizada. A recolocaçao no local de origem ocorrerá durante a reinauguração da praça, prevista para o mês que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.