Região da 25 de Março, em SP, terá reforço policial

A região da Rua 25 de Março, no centro, vai ganhar uma base da Polícia Militar em breve. A medida é uma das ações conjuntas que Estado e Prefeitura acertaram numa reunião, nesta terça, para melhorar a segurança na área, onde três pessoas foram mortas e três ficaram feridas em tiroteios na semana passada. "Estamos estudando um plano maior, com as Polícias Civil e Militar e a Guarda Civil, para combater a violência de forma ampla, englobando a questão da pirataria e do contrabando e atacando ocorrências de roubo e furto", disse o secretário-adjunto de Segurança, Marcelo Martins de Oliveira. Segundo o secretário municipal de Serviços e subprefeito da Sé, Andrea Matarazzo, a Prefeitura vai construir a base e entregar à polícia. "Ficará na 25, perto da Praça Fernando Costa." Ele disse ainda considerar a região tranqüila. "Infelizmente as ocorrências chamaram a atenção para um fato importante: o movimento na região cresceu muito. A questão é adequar a infra-estrutura da cidade à necessidade local e, obviamente, a segurança pública às novas especificidades, em conjunto com o Estado", disse Matarazzo. Os dois secretários não quiseram adiantar detalhes das operações para não comprometer seu andamento. Mas garantiram que começam "já". Um dos pontos em discussão é o aumento do número de policiais. Hoje são 37 PMs, além de 80 guardas-civis e 90 agentes de fiscalização. "As corporações estão avaliando as necessidades. Pode ser que se utilize o mesmo efetivo, mas em ações diferenciadas", explicou Oliveira. Matarazzo ressaltou que a pirataria e o contrabando "são um caldo de cultura propício aos transtornos. "A Prefeitura e o Estado vão continuar agindo com a mesma firmeza. Fechando armazéns e pressionando nos shoppings que vendam mercadorias irregulares." Ele disse que muitos camelôs ilegais "fazem parte da cadeia produtiva ao vender esses produtos". Atualmente, 81 ambulantes têm permissão para trabalhar na 25 de Março. "E há outros 150 lá ilegalmente."

Agencia Estado,

14 Fevereiro 2006 | 22h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.