Região metropolitana de Porto Alegre tem 10 homicídios em 12 horas

Morte de homem causou revolta entre moradores, que fizeram barricadas e atiraram paus e pedras contra policiais

Lucas Azevedo , Especial para O Estado

03 Setembro 2015 | 11h52

PORTO ALEGRE - A região metropolitana de Porto Alegre registrou dez homicídios entre a noite desta quarta-feira, 2, e a manhã desta quinta, 3. Sete das mortes ocorreram na capital. As polícias militar e civil atuam com efetivo reduzido.

Todas as mortes registradas nas últimas horas foram causadas por disparos de armas de fogo. Além de Porto Alegre, as cidade vizinhas de Viamão, Gravataí e São Leopoldo também foram palco para os homicídios.

Em uma das ocorrências, na manhã desta quinta, um homem morreu durante abordagem de policiais militares no morro Santa Tereza, em Porto Alegre. Inconformados com a ação dos policiais, moradores atacaram viaturas com paus e pedras. Eles acusam os soldados da Brigada Militar de terem atirado no homem já rendido e pelas costas. Os policiais alegam que o homem estava armado e resistiu à prisão. Ele seria olheiro de uma boca de fumo.

Acuados, os soldados pediram reforço. Cerca de cinquenta homens da Brigada Militar e Polícia Civil, com o auxílio de um helicóptero, entraram em um beco, na Rua Dona Maria, em uma comunidade dominada pelo tráfico de drogas. 

Ao menos quatro barricadas com pneus em chamas tiveram de ser apagadas para o resgate dos policiais. A perícia também teve trabalho para examinar o corpo e retirá-lo do local. A vítima é Ronaldo de Lima, cuja idade não foi revelada.

No final da manhã, a polícia voltou ao local. Um táxi lotação e dois ônibus foram incendiados no bairro Santa Tereza. A polícia acredita que os incêndios tenham ligação direta com a morte de Lima.

Mais conteúdo sobre:
Porto Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.