Reintegração de posse do Edifício Prestes Maia é adiada

A reintegração de posse do Edifício Prestes Maia, no centro de São Paulo, foi adiada. As 468 famílias que moram no prédio desde 2003 conseguiram mais 20 dias de permanência no local. Liderados pelo Movimento dos Sem-Teto do Centro (MSTC), os invasores prometem acampar na calçada vizinha ao Ministério da Fazenda. O prédio abriga 1.630 pessoas. O proprietário do edifício, Eduardo Amorim, o comprou em 1989 e nunca havia utilizado. A dívida de Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) chega a R$ 5,2 milhões. Nos últimos meses, no entanto, ele recebeu propostas de compradores e pediu a reintegração de posse. Em dezembro, o direito foi concedido e o prazo para retirada era até hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.