Reivindicações devem marcar festas organizadas por centrais sindicais

1º de Maio

, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2010 | 00h00

As centrais sindicais devem aproveitar a presença das pré-candidatas à Presidência, Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV), nas comemorações do 1.º de Maio para fazer reivindicações. As bandeiras incluem a redução da jornada de trabalho, o avanço da reforma agrária e o aumento acima de 7% para os aposentados. "É um dia de festividade e, ao mesmo tempo, de reflexão", afirma Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT). A maior parte das demandas será feita informalmente. A Central Única dos Trabalhadores (CUT), porém, deve lançar um documento com cerca de 200 propostas que deseja ver integradas ao programa da petista.

O presidente Lula vai acompanhar sua candidata em quatro eventos. Além da CUT, eles são esperados nas festas da Força Sindical e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo. O ato conjunto da UGT, Nova Central e Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), terá também a presença de Marina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.