Relator da ONU em missão no País vai a audiência no Congresso

Philip Alston está no Brasil e participa de reunião na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara

14 de novembro de 2007 | 13h22

O relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU), Philip Alston, participa na tarde desta quarta-feira, 14, de uma audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Alston está no Brasil para uma missão oficial na qual vai reunir informações sobre denúncias de violações dos direitos humanos e produzir um relatório para apresentar ao Conselho dos Direitos Humanos da ONU.   Participe do fórum e dê a sua opinião     Alston recebeu relatórios com denúncias de violência no Rio e em São Paulo. O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Ronaldo Bretas Marzagão, entregou um relatório com informações sobre como são investigadas as denúncias de crimes cometidos por policiais no Estado. O enviado da ONU chegou ao País na sexta-feira, 2, para uma missão de onze dias nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e o Distrito Federal para produzir um relatório sobre os direitos humanos no País e apresentá-lo no Conselho dos Direitos Humanos da ONU.   Durante o fim de semana, Alston esteve com familiares das vítimas do confronto entre policiais e traficantes no Morro do Alemão, no Rio de Janeiro. No dia 27 de junho o confronto deixou 19 mortos e é considerado o mais violento do ano. Segundo o relator, o fato de algumas mães afirmarem que os filhos faziam parte do tráfico, não havia justificativa para matá-los.   Para Alston é preocupante que se tenha "a idéia de que se uma pessoa é traficante, matá-la é justificado". Ele afirmou que o procedimento correto da polícia seria a prisão dos criminosos. "Caso não seja possível, e se houver ameaça à vida de alguém, a força pode ser usada, mas sem a necessidade de mortes".   Com informações da Agência Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUsegurança públicaPhilip Alston

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.