Relatórios denunciaram tortura no Presídio Ary Franco

O presidente do Conselho daComunidade da Comarca do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo, afirmou ontem que o secretário de Administração Penitenciária,Astério Pereira dos Santos, recebeu dois relatórios com denúncias de prática sistemática de tortura no Presídio Ary Franco.Freixo garantiu que o primeiro documento foi entregue a ele em abril e forneceu o número do protocolo na secretaria:E-21/10141/03.O outro teria sido entregue em 22 de agosto. Foi do Ary Franco que o chinês Chan Kim Chang, que morreu dia 4, saiugravemente ferido, provavelmente por ter sido espancado.?Uma coisa é ele não concordar com o relatório ou não ter lido. Outra é dizer que não recebeu. Fomos chamados dementirosos, mas vamos mostrar de que lado está a mentira?, disse Freixo. Procurados pelo Estado paracomentar as acusações, Astério e o o subsecretário Aldney Peixoto não foram localizados.Uma nota em repúdio à declaração de Astério, que no sábado negou ter recebido os relatórios, foi divulgada. Assinam otexto representantes das entidades que formam o conselho, entre elas a Defensoria Pública do Estado, a Comissão deDireitos Humanos da Assembléia Legislativa, a Pastoral Carcerária, o Conselho Regional de Serviço Social e grupos como oJustiça Global e Tortura Nunca Mais. Todos estavam presentes à reunião do dia 22.A nota diz que, na ocasião, dois documentos, referentes ao Ary Franco e ao presídio Milton Dias Moreira, foram entreguesa Astério e a Aldney. ?Além disso, foi enviada através do subsecretário coronel Spargoli, a ata da referida reunião. Repudiamos, assim, a alegação do não recebimento do relatório sobre a inspeção no presídio Ary Franco.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.