Remédio falso era vendido na web

PF prende 11 e apreende 3,5 mil caixas de anabolizantes, calmantes, abortivos e medicamentos para disfunção erétil

Lígia Formenti, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 00h00

Onze pessoas foram presas e 3.524 caixas de medicamentos vendidos pela internet foram apreendidos ontem, durante a Operação Virtuapharma, deflagrada pela Polícia Federal. As drogas eram falsificadas, sem registro da Agência da Vigilância Sanitária (Anvisa), ou contrabandeadas. Entre os remédios recolhidos, havia anabolizantes, calmantes, abortivos e indicados para o tratamento de disfunção erétil. "Os lotes apreendidos representavam um sério risco para a saúde das pessoas: estavam contaminados por bactérias, apresentavam concentrações maiores ou menores do que o indicado, estavam guardadas em locais inadequados", enumerou o delegado da Polícia Federal, Carlos Eduardo Miguel Sobral. A operação resulta de uma investigação que começou a ser feita há seis meses, quando a Polícia Federal e Anvisa receberam denúncias sobre sites na internet que vendiam medicamentos de forma irregular. Ao todo, 40 endereços eletrônicos foram investigados. Ontem, policiais cumpriram 36 mandados de busca e apreensão. Até o início da tarde, 11 prisões haviam sido registradas. A ação policial foi feita no Distrito Federal e em 5 Estados: Santa Catarina, Ceará, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul.Entre os presos estão vários fornecedores do medicamento. De acordo com Miguel Sobral, a pena pela venda de medicamento falsificado varia entre 10 e 15 anos de prisão. Os medicamentos eram comprados pela internet e o pagamento acaba feito por boleto bancário. As investigações até agora descartam uma relação entre os sites que vendiam medicamento. "Não há indícios de formação de quadrilha", disse Sobral.PRÓXIMO PASSOA partir da agora, integrantes da Polícia Federal e da Anvisa vão buscar outros fornecedores. "Este é o primeiro passo da operação. Certamente haverá uma série de desdobramentos", afirmou o assessor substituto de Segurança Institucional da Anvisa, Ricardo Sampaio. Até o início da tarde, haviam sido apreendidas 507 caixas de abortivos, 128 caixas de anabolizantes, 450 de drogas para disfunção erétil e outras 2.439 de medicamentos indicados para outros distúrbios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.