Renascer protesta contra proibição de evento na Paulista

A Igreja Renascer, que organiza a Marcha para Jesus desde 1992, divulgou uma nota na noite desta quarta-feira, 11, protestando contra a proibição do evento na Avenida Paulista. De acordo com a igreja, no dia 4 de maio do ano passado foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Estado de São Paulo, que garantia à Renascer o direito de realizar o evento na Paulista, caso a avenida fosse palco de qualquer outro movimento popular de massa. No entanto, na última terça-feira um outro termo assinado pelo Ministério Público e pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) prevê apenas três grandes eventos por ano na Paulista. Devem continuar na avenida a Corrida de São Silvestre, o réveillon e a Parada do Orgulho GLBT. A Marcha para Jesus e a comemoração do Dia do Trabalho da Central Única dos Trabalhadores (CUT) foram vetadas e devem ser transferidas para outro local. A seguir, a íntegra da nota: "A Fundação Renascer, surpreendida com a notícia de que o Ministério Público Estadual prevê a realização de apenas três grandes eventos na Avenida Paulista, e de que essa escolha excluiu a Marcha para Jesus, evento que reúne milhões de fiéis de todo o país, vem a público esclarecer: 1 - A Marcha para Jesus é um movimento popular religioso de massa, aberto a todos os que aceitam Jesus como seu Mestre e Senhor; que já se transformou em tradição paulistana, nos tantos anos em que foi realizada com sucesso, ordem e tranqüilidade, reunindo, sem preferências ou preconceitos, todas as denominações evangélicas. 2 - A Fundação Renascer, coordenadora da Marcha, firmou em 4 de maio de 2006 um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público, no qual ficou garantido o direito de, se houvesse qualquer outro evento de massa na Avenida Paulista, ali também seria realizada a Marcha para Jesus. 3 - A Fundação Renascer reafirma sua plena confiança no equilíbrio, isonomia e discernimento das autoridades competentes e na palavra empenhada pelo Ministério Público, garantindo que está disposta a obedecer às normas gerais que forem estabelecidas para todas as grandes manifestações tradicionais na cidade de São Paulo. 4 - Dessa forma, a Marcha para Jesus será realizada na data prevista, 7 de junho, de preferência na Avenida Paulista, o lugar mais adequado para receber a multidão que proclama sua fé no Senhor, inclusive por facilidades de acesso, logística e segurança. Toda essa argumentação e documentação serão levadas às autoridades municipais, em busca de uma solução justa e consensual. Ou, caso haja real, verdadeiro e justificado impedimento legal, o evento se realizará na área que for indicada pelas autoridades competentes. O importante é que o povo de Deus possa se manifestar livremente, louvando o Senhor, agradecendo-Lhe, proclamando sua fé, sem preconceitos, sem perseguições."

Agencia Estado,

11 Abril 2007 | 20h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.