Repórteres Sem Fronteiras cobra apuração em SP

A ONG Repórteres Sem Fronteiras, principal entidade em defesa do jornalismo no mundo, pediu ontem que a polícia investigue se o assassinato de Wanderley dos Reis, dono do jornal Popular News, de Ibitinga (SP), tem relação com reportagens políticas que publicou no diário gratuito.

, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2010 | 00h00

Reis, de 42 anos, foi atacado em sua casa no domingo, um dia antes do assassinato de F Gomes. De acordo com boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, ele e a principal testemunha do caso, Moisés Fernandes da Silva, de 20 anos, que morava com o jornalista, foram rendidos por três homens. Um deles disparou com uma pistola calibre 380 na perna de Reis, que morreu na manhã seguinte no hospital.

Segundo a polícia, não há suspeitos ou pistas dos bandidos, que fugiram sem levar nada. A ONG ressalta que se deve ter em conta "hipótese profissional" do crime. / ROBERTO ALMEIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.