Represa histórica é danificada pelas chuvas em Iperó

As chuvas causaram um rombo na barragem da Represa de Hedberg, a primeira do Brasil, construída em 1811 para movimentar as máquinas da antiga Real Fábrica de Ferro de São João de Ipanema, em Iperó, na região de Sorocaba. Outras construções do conjunto, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), estão ameaçadas pelas águas. No local, hoje transformado na Floresta Nacional de Ipanema (Flona), funcionou a primeira siderúrgica o Brasil. Segundo o chefe substituto da Flona, José Delcídio Duarte Vieira, com o excesso de chuvas e o nível elevado, a estrutura de madeira que sustentava a comporta de ferro da barragem estourou. A água inundou a Casa da Guarda, também construída em 1811, e a Fábrica de Armas Brancas, inaugurada em 1886 pelo imperador D. Pedro II. O nível da água atingiu ainda o sítio arqueológico onde se encontram os altos-fornos de Varnhagen, de 1816, os primeiros do Brasil, e o forno de Mursa, de 1885, restaurados recentemente. Peritos da Marinha vistoriaram nesta sexta-feira, 9, a barragem afetada. A água da represa é usada na usina de enriquecimento de urânio do Centro Experimental Aramar, instalado na mesma área. A Marinha vai fazer um reparo emergencial na comporta, até que seja iniciada a restauração. O Centro de Estudos de Arqueologia Náutica e Subaquática da Universidade de Campinas (Unicamp) apresentou estudo para a recuperação da barragem, mas o trabalho depende de um projeto técnico e de verbas. Os outros prédios atingidos pelas águas têm infiltrações e também precisam ser restaurados.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2007 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.