Resgate teme desabamento,retira combustível de local de acidente

Além do trabalho de remoção de corposno local do acidente com o vôo 3054 da TAM, que voava com 186pessoas a bordo, os bombeiros conseguiram retirar todo ocombustível do posto de gasolina atingido pelo avião,eliminando assim riscos de explosão. Na manhã desta quinta-feira, na área devastada pelo choqueda noite de terça, ainda há fumaça e cheiro de queimado. Osaldo de mortos até o momento é de 183 pessoas. Os bombeiros continuam usando água, num processo deresfriamento dos escombros. O Airbus A320 da TAM sofreu o mais grave acidente dahistória do país ao tentar pousar na pista molhada do aeroportode Congonhas. A aeronave atravessou uma avenida movimentada, sechocou contra dois prédios próximos e um posto de gasolina epegou fogo. Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiro, Mauro Lopes, 105mil litros de combustíveis (gasolina e álcool) foram retiradosdo local. Lopes afirmou que no avião também não há maiscombustível. O bombeiro disse ainda que está sendo feita uma análiseestrutural dos prédios atingidos pelo avião, para evitar riscosà segurança das pessoas que estão trabalhando no resgate doscorpo. Na noite de quarta-feira, a remoção dos escombros acaboucontribuindo para o aumento de um incêndio sobre os destroços. "Agora estamos fazendo uma análise da estrutura do prédiopara saber se é necessário demolir ou escorar com estacas. Nósnão queremos colocar a vida das equipes em risco", explicouLopes. Ele afirmou ainda que a análise técnica é criteriosa,para evitar possíveis desabamentos. Newton Miranda, um dos bombeiros que está no comando daoperação, disse que o prédio da TAM Express atingido pelo aviãotem uma parte subterrânea que ainda não foi alcançada. Os bombeiros temem um colapso entre a segunda e a primeiralaje, onde não conseguiram chegar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.