Ressaca provoca mais danos à praia da Enseada, no Guarujá

A maré alta e a ressaca do mar voltaram a abalar a praia de Enseada, em Guarujá, na Baixada Santista. Proprietários dos quiosques da orla reclamaram dos novos prejuízos. Turistas e moradores se desanimaram com a situação da praia e até a rede hoteleira se sente prejudicada com a imagem negativa causada com a falta de manutenção das calçadas e quiosques.O meteorologista do Instituto Climatempo Marcelo Pinheiro disse que o fenômeno, responsável por ondas em torno de 2 metros e meio na região na quinta-feira, 9, foi causado pela passagem de um ciclone extratropical que se desloca perto do litoral gaúcho. Pinheiro explica que para o final de semana, a tendência é de que as ondas diminuam. "Mas o mar deve continuar agitado nas praias paulistas", disse.Pelo menos a curto prazo, essa é uma boa notícia para os proprietários de quiosques da Enseada, que, segundo a presidente da Associação de Quiosqueiros de Guarujá, Marta Pereira de Santana, já estão "muito sensíveis". "Entre 8 e 10 quiosques sofreram algum tipo de estrago com essa ressaca, como rachaduras, água invadindo a cozinha e destruição de decks", disse a presidente.Marta lamenta que os problemas estejam ocorrendo com tanta freqüência. "É muito prejuízo e nessa época a gente não esperava. O tempo vai ficando mais curto, cada vez estamos mais perto da temporada." Os custos das obras são todos por conta dos quiosqueiros. O comerciante José Sales da Silva investiu R$ 23 mil na reconstrução de seu quiosque, completamente destruído da ressaca anterior, em setembro.A Prefeitura de Guarujá informou, através de sua assessoria de imprensa, que não se comprometeu na reconstrução dos estabelecimentos por se tratar de empreendimento particular. Porém, avisou que já recolheu o entulho acumulado no local.Mas a sociedade ainda reclama do entulho e das calçadas destruídas. A professora Maria Ângela Serrazzo, de 55 anos, disse que ficou muito triste quando viu as condições da praia após a ressaca anterior. "Ficou tudo destruído, a calçada, os quiosques."Na mesma praia, está um dos mais famosos hotéis da cidade, o Casagrande. De acordo com a assessoria de imprensa do hotel, o número de hóspedes não diminuiu com os problemas causados pelas ressacas. "Mas com certeza, essa imagem negativa do Guarujá vai afetar comercialmente o Casagrande. Nossos hóspedes vão pensar um pouquinho mais antes de decidirem vir para cá, pois além de usarem as dependências do hotel, eles também querem freqüentar a praia", afirmou a assessoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.