Resultado prévio de perícia pode sair na 4ª

A equipe de peritos da Polícia Federal de Brasília deve terminar em uma semana as inspeções para determinar a causa da explosão de um artefato, na sexta-feira, dentro do laboratório do Serviço Técnico Científico da Polícia Federal (PF), em Manaus. A informação é do superintendente da PF no Amazonas, Sérgio Fontes. Os trabalhos de análise devem continuar por toda a semana, com previsão de um resultado preliminar para a próxima quarta-feira. A explosão aconteceu por volta de 17h30, quando seis peritos manuseavam, em uma segunda análise, um cilindro com cocaína apreendido em novembro do ano passado em uma agência dos Correios. Três peritos criminais morreram. Materiais com substâncias potencialmente explosivas, como pólvora e fogos de artifício, foram encontrados durante análise, ontem, no laboratório. Segundo Sérgio Fontes, os materiais aguardavam perícia e começarão a ser destruídos hoje. Ele informou que a PF solicitou apoio material do Exército e da Aeronáutica para a destruição das substâncias. "Pedimos apoio somente material. Os peritos que estão trabalhando neste caso são especialistas do Departamento de Bombas e Explosivos e sabem exatamente o que estão fazendo", enfatizou. De acordo com o superintendente, os peritos permaneceram durante todo o domingo na sede da PF. "Não temos nenhuma conclusão ainda. Os peritos devem ter isso em alguns dias, no máximo em uma semana", disse. ENTERROFoi enterrado na manhã de ontem, no Cemitério Morada da Paz, no município de Paulista, região metropolitana do Recife, o corpo do perito pernambucano Maurício Barreto da Silva Júnior, de 37 anos, morto na explosão. Abalados, os parentes não quiseram dar entrevistas. Uma quarta vítima da explosão, o policial Marcos Antônio Mota Ferreira, sofreu apenas ferimentos leves e teve alta médica no sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.