Retomada negociação para pôr fim à rebelião em presídio na BA

Presídio de Serrinha é considerado de seguraça máxima; motim já resultou na morte de um detento

Tiago Décimo - O Estado de S. Paulo,

10 de fevereiro de 2010 | 12h27

Depois de interrompidas na tarde desta terça-feira), 10, foram retomadas, às 8 horas (horário de Brasília), as negociações para o fim da rebelião no Presídio de Serrinha - considerado de segurança máxima -, a 173 quilômetros de Salvador.

 

Iniciado às 8h50 de segunda-feira, 8, o motim, promovido por 25 presos considerados perigosos pela administração da unidade, já resultou na morte de um detento, Joselito Alves da Silva. Outros três são mantidos reféns.

 

Os amotinados exigem a transferência de 14 presos, supostamente integrantes de uma quadrilha de tráfico de drogas, para Salvador. Eles teriam sido responsáveis por coordenar a série de ataques a módulos policiais e ônibus promovida na capital baiana em setembro - mesmo mês em que foram enviados para Serrinha.

 

O secretário da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia, Nelson Pellegrino, garante que a reivindicação não será atendida. Um grupo de 50 policiais do Comando de Operações Especiais (COE) cerca a unidade à espera de ordem para a invasão.

Tudo o que sabemos sobre:
rebeliãopresídioBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.