Retomadas as buscas por vítima de naufrágio na Bahia

As buscas pelo passageiro desaparecido depois que o catamarã Biônica de Tinharé, da empresa BioTur, naufragou na noite de domingo, 10, na entrada da Baía de Todos os Santos, na Bahia, foram retomadas. De acordo com a mulher de Ananias Bernardino da Silva, de 61 anos, que também estava na embarcação, Silva sabia nadar e estava com o colete salva-vidas quando desapareceu.Cento e trinta e uma pessoas foram resgatadas e apenas Ananias ainda não foi encontrado. A embarcação fazia a travessia entre Morro de São Paulo, de onde saiu por volta das 16h30, e Salvador, onde deveria chegar duas horas depois. Segundo a Capitania dos Portos, fortes ventos e mar agitado fizeram com que a proa da embarcação - parte da frente - fosse invadida pela água, por volta das 18 horas. O catamarã ficou à deriva, inclinou e, três horas depois, naufragou.De acordo com a Capitania dos Portos, o capitão da embarcação ordenou que todos os passageiros vestissem os coletes salva-vidas e passou a coordenar a saída deles do catamarã, de onde pularam no mar. Os primeiros barcos de resgate chegaram ao local por volta das 21h30. Passava da meia-noite quando os primeiros náufragos chegaram a Salvador, alguns deles com sintomas de hipotermia. Não foram registrados casos de passageiros com ferimentos graves.Segundo a Capitania dos Portos, o catamarã foi rebocado para Valença, onde vai ser periciado. A empresa proprietária da embarcação comunicou que o catamarã era novo e que estava autorizado a transportar o número de passageiros que tinha na hora do acidente. Um inquérito foi instaurado para investigar as causas do naufrágio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.