Retorno do litoral demora pelo menos 4 horas

Continua muito difícil o retorno à capital paulista pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, com vários pontos de lentidão nas duas estradas. O congestionamento se estendeu durante toda a madrugada desta quarta-feira e prossegue agora pela manhã. A Polícia Rodoviária e a Ecovias, empresa que administra a Anchieta e a Imigrantes, informam que os motoristas que saem agora dos municípios de Itanhaém, Mongaguá e Praia Grande pela Rodovia Padre Manoel da Nóbrega para tentar acessar a Rodovia dos Imigrantes enfrentam 18 quilômetros de congestionamento.No início do trecho de serra, no quilômetro 60 da Imigrantes e no quilômetro 58 da Anchieta, também há muita lentidão. A volta para a capital paulista está durando em média quatro horas. A recomendação é para que a viagem a São Paulo seja adiada para mais tarde ou mesmo para amanhã. Dos 494 mil veículos que desceram à Baixada Santista neste feriado prolongado de Ano Novo, já voltaram 348 mil carros. Isso significa que pelo menos 30% desse total - 150 mil automóveis - ainda permanecem no litoral. Na chegada à capital, a situação esteve muito ruim no início da manhã, mas já melhorou, de acordo com a Ecovias. O tráfego também está moroso para quem está tentando deixar as praias do litoral norte de São Paulo, principalmente no entroncamento das Rodovias dos Tamoios e Rio-Santos.Nas outras rodovias que cortam o Estado, o movimento é um pouco mais intenso do que o normal em direção a São Paulo, mas não há registro de congestionamentos. A Polícia Rodoviária e as concessionárias responsáveis pelas estradas informam que não há problemas por enquanto na Via Dutra, na Rodovia Régis Bittencourt, na Fernão Dias, na Rodovia Castelo Branco, na Fernão Dias e no Sistema Anhanguera-Bandeirantes. À tarde a Polícia Rodoviária deverá divulgar o balanço final dos acidentes ocorridos durante o fim de semana prolongado. No entanto, números parciais dão conta de que, nesse período, aconteceram nas estradas estaduais e federais mais de mil acidentes, com cerca de 580 feridos e pelo menos 39 mortos. Num comparativo com o mesmo período em 2000, a violência nas rodovias em 2001 foi maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.