Reunião discutirá greve. Sete ônibus depredados

A paralisação dos motoristas e cobradores que acontece hoje em São Paulo, é em protesto contra o não pagamento de reajuste de 8% no valor do salário e do tíquete-refeição garantido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O Tribunal Superior do Trabalho (TST), porém, anulou a decisão, concedendo um aumento de 6% à categoria. Segundo a SPTrans, uma reunião de conciliação entre o Transurb, sindicato das empresas, e o sindicato dos motoristas deve acontecer ainda hoje no TRT.Sete ônibus da viação Santa Brígida, que atende bairros das regiões noroeste da capital paulista, foram depredados esta manhã por grevistas. De acordo com a São Paulo Transportes (SPTrans), os ônibus foram atacados quando os motoristas tentavam sair da garagem localizada na rua Manoel Monteiro de Araújo, na Vila Jaguara. Apesar das depredações, 50 ônibus da empresa circulam normalmente na capital. Outros 98 carros da Cooperativa Comunitária de Transportes Coletivos (CCTC) também estão nas ruas.TrensSegundo as assessorias de imprensa do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), houve registro de aumento de passageiros nos sistemas, mas nenhum tumulto foi registrado. De acordo com o Metrô, hoje o horário de pico foi ampliado e, em algumas estações, houve filas nas bilheterias. A Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não registraram tumultos ou manifestações dos grevistas categoria esta manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.