Reunião do Conac é adiada para o fim da tarde desta segunda

Previsto para às 12h, encontro é remarcado para às 17h pelo atraso na reunião da Coordenação Política

Isabel Sobral e Leonardo Goy, do Estadão,

30 Julho 2007 | 13h06

A reunião do Conselho de Aviação Civil (Conac) que estava prevista para às 12 horas desta segunda-feira, 30, foi adiada para às 17 horas. Segundo a assessoria do Ministério da Defesa, o motivo do adiamento é o atraso no encontro da Coordenação Política no Palácio do Planalto, que terminou por volta das 13 horas. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, participou da reunião da Coordenação Política e terá sua primeira reunião com o Conac nesta segunda.   Jobim tem primeira reunião com Conac nesta segunda Crise atinge Aeroporto de Cumbica Cumbica fez vizinhança adensar Jobim vai criar gabinete de crise   A decisão foi tomada no fim da manhã desta segunda. A ministra do Turismo, Marta Suplicy; o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge; e o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, já estavam no Planalto esperando o início da reunião. Além dos ministros, o presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) brigadeiro José Carlos Pereira, também aguardava a reunião.   Três assuntos são os principais da pauta da reunião:   1) como impor às companhias aéreas uma nova malha aeroviária que não dependa do aeroporto de Congonhas como roteador de vôos (hub);   2) o que fazer para esvaziar Congonhas da aviação geral (táxis aéreos e jatos particulares) e transferir esses movimentos para o aeroporto de Jundiaí (SP);   3) como fazer Viracopos, em Campinas (SP), ganhar capacidade para acolher até 2,5 milhões de passageiros por ano.   O Conac proibiu conexões e escalas em Congonhas - o aeroporto passará a só operar com vôos diretos apenas para cidades que fiquem, no máximo, a duas horas de vôo. Proibiu também a decolagem e pouso de vôos charters e fretados de lá, inclusive nos fins de semana, além de endossar medida que já havia sido adotada pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), na semana anterior, de reduzir de 44 para 33 movimentos de pouso e decolagens por hora em Congonhas, mesmo com a reabertura da pista principal.   Outro assunto especial será discutido na reunião: a manutenção dos aviões da TAM. "Não é possível que todos os dias, mas todos os dias mesmo, os aviões da TAM apresentem problemas e isso não signifique nada", disse ao Estado um dos membro do Conac.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea vôo 3054 Conac

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.