Revista encontra armas improvisadas em Hortolândia

Era uma revista de rotina, mas o que se encontrou no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia, anteontem, foi além de celulares, drogas e armas improvisadas. Flagra do fotorepórter Junior (nome fictício) revelou a criatividade dos detentos para despistar a vigilância. Fotoreportagem é um canal de comunicação mantido pelo Grupo Estado, que permite aos leitores enviarem suas imagens.Um dos celulares apreendidos dispunha de antena artesanal para ampliar o poder de alcance do aparelho. Outros, acondicionados em preservativos, foram retirados de dentro do corpo de detentos.Cerca de 20 trouxas de maconha foram encontradas amarradas umas nas outras, para facilitar a passagem do material pela tubulação de esgoto. O procedimento é apelidado pelos presos de ?internet?.Bolas de uma massa feita de sabonete e cinzas de cigarro serviam para tapar buracos nas paredes, onde armas como pedaços de metal transformados em facas estavam escondidas.Procurada pelo jornal, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) ainda não informou sobre o saldo final da revista em Hortolândia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.