Revogada prisão de segurança acusado de matar radiologista

O segurança Roberto Aparecido Lopes, 28 anos, vai aguardar em liberdade até o fim do inquérito no qual é apontado como o autor do disparo que matou radiologista Rafael Silva de Paula Moreira, na saída do shopping Iguatemi, em Campinas, no dia 18 de outubro. Lopes foi preso no dia 20. Sua prisão temporária venceria na última sexta-feira, 3, mas a Justiça revogou a prisão, a pedido da defesa, na quarta, 1º, já que durante o feriado prolongado não haveria expediente forense.O advogado de Lopes, José Pedro Said Júnior, informou que a prisão foi revogada porque o segurança se apresentou à polícia, confessou a autoria do crime, tem residência fixa, emprego e não tinha antecedentes criminais.A mãe do radiologista, Irma Silva de Paula Moreira, criticou o Poder Judiciário ao receber a notícia. "Realmente a Justiça no Brasil deixa a desejar. Ele confessou que atirou. Deveria ficar fechado até o julgamento e até depois dele", afirmou.O delegado Carlos Henrique Fernandes, responsável pelo inquérito sobre a morte do radiologista, disse nesta segunda-feira, 6, que o fato de Lopes aguardar em liberdade não muda o andamento das investigações.O inquérito tem prazo legal de 30 dias para ser concluído, ou seja, termina na próxima semana. Mas Fernandes já informou que estuda pedido de prorrogação das investigações por mais 30 dias. Também nesta segunda, o advogado de defesa de Lopes não informou se o segurança está em Campinas. A reportagem não localizou familiares do vigilante.A Polícia Civil ainda aguarda a conclusão dos laudos periciais do Instituto de Criminalística (IC). Os peritos já produziram um laudo, no local do crime, e trabalham em relatórios técnicos sobre um capacete com manchas de sangue, sobre um revólver calibre 38 que seria a arma do crime, sobre o projétil retirado do corpo de Moreira e sobre as imagens do circuito interno de câmeras do shopping.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.