RFFSA é multada por vazamento de mercúrio

A Rede Ferroviária Federal S. A (RFFSA) foi multada em R$ 150 mil pelo vazamento de mercúrio que contaminou dez adolescentes com idade entre 13 e 17 anos no último dia 2, em Mairinque, a 62 quilômetros de São Paulo.Os garotos, todos alunos da Escola Estadual "Professora Maria de Oliveira Lellis Ito", do Jardim Cruzeiro, contaminaram-se em uma subestação da linha administrada pela Ferroban.O mercúrio tinha vazado de um reator elétrico desativado avariado por saqueadores de sucata de cobre. A subestação e seus equipamentos pertencem à RFF. A multa foi aplicada pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). A empresa já tinha sido autuada no dia 23 de fevereiro por causa de um vazamento de óleo de transformadores na mesma instalação. A RFFSA poderá recorrer da multa. A Cetesb exigiu também que a empresa remova os resíduos perigosos que se encontram no local. O mercúrio é um metal pesado que se acumula no organismo quando entra na cadeia alimentar, causando lesões irreversíveis nos órgãos. Na forma de vapor, em alta concentração, causa danos aos pulmões, irritação nos olhos e na pele, tonturas e vômitos. A subestação atendia a linha eletrificada da antiga Fepasa, mas está desativada desde que o trecho passou a ser operado com locomotivas a diesel, há três anos. Os estudantes encontraram o mercúrio no chão e o colocaram em vidros, levando para a escola. Os professores observaram o risco e entraram em contato com a prefeitura. Algumas crianças sentiram alergia depois de manusear o produto. Até hoje elas continuavam sob observação médica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.