Ribeirão tem poucos casos, mas muitos mosquitos da dengue

Ao contrário do ano passado, quando houve 15.874 casos de dengue, os municípios da região de Ribeirão Preto esforçam-se para conter a doença. Até agora, só 20 casos foram registrados, mas os focos do mosquito Aedes aegypti ainda estão longe de serem extintos. "A população não está se conscientizando, é um problema sério", diz o coordenador-geral do Controle de Vetores de Barretos, Olsírio Aníbal. Em Barretos, que teve 3.041 casos em 2001, 90% das amostras de focos são de residências e quintais. Aníbal disse que, das 167 amostras coletadas, o índice de focos do mosquito, na semana passada, foi de 78%. Neste ano, só houve a confirmação de um caso de dengue, e importado de Belo Horizonte.Em Jardinópolis (2.065 casos em 2001), que teve uma das quatro ocorrências de dengue hemorrágica de 2001 (mas a única com morte) - as outras foram em Barretos, Bebedouro e Guaíra - também tem um caso, importado de Tocantins. "Estamos fazendo um combate intensivo, pois existe muito mosquito", diz o secretário de Saúde de Jardinópolis, Fernando Bertini.Nesta manhã, funcionários das vigilâncias Epidemiológica e Sanitária e do Controle de Vetores de Ribeirão Preto (3.225 casos em 2001 e 7 neste ano), autuaram a empresa Vandir Sucatas, um depósito de sucatas de ferro e de reciclagem de plástico, no bairro Jardim Salgado Filho 1. Lá, foram encontrados mais de 50 focos do mosquito. O proprietário, reincidente, foi multado e terá 15 dias para recorrer. O valor da multa ainda será definido - pode ser de R$ 85,00 a R$ 85 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.