Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Rio adia por 15 dias reabertura de cinemas, teatros e casas de eventos

Segundo explicou o prefeito Marcelo Crivella, a fase que previa a reabertura dos pontos turísticos só começou no último sábado e uma nova fase não poderia ser iniciada sem que o impacto da anterior pudesse ser avaliado

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2020 | 17h26

RIO - A reabertura de cinemas, teatros e casas de eventos no Rio de Janeiro, prevista para este domingo, foi adiada pela prefeitura por 15 dias, anunciou o prefeito Marcelo Crivella em coletiva realizada na tarde deste domingo, 16. 

A fase 6 do processo de reabertura após a quarentena imposta pela pandemia de coronavírus, a última, estava prevista originalmente para começar neste domingo. Segundo explicou o prefeito, a fase 5, que previa a reabertura dos pontos turísticos, só começou no último sábado e uma nova fase não poderia ser iniciada sem que o impacto da anterior pudesse ser avaliado.

Crivella afirmou que os indicadores de covid-19 no Rio estão sob controle e de acordo com o que era previsto para este momento da epidemia, mas que, mesmo assim, o comitê científico da prefeitura decidiu manter as restrições. O comitê leva em conta sete indicadores, entre eles o número de casos de covid, a ocupação dos leitos de UTI nos hospitais. Uma nova análise será feita em duas semanas.

Segundo o último boletim, o Rio tem 194.279 casos de covid e 14.562 mortes acumuladas. O prefeito fez um apelo aos mais jovens, que têm se aglomerado em bares, que evitem as reuniões para não aumentar a carga viral circulante na cidade.

Na manhã deste domingo, profissionais do Carnaval, de rodas de samba e pessoas que trabalham na produção de eventos se reuniram na Avenida Atlântica em Copacabana, para reivindicar apoio ao setor, duramente atingido durante a pandemia. O movimento "Mobilização pelo Entretenimento" pede a criação de um auxílio emergencial específico para o setor até que as atividades culturais possam ser retomadas.

O município vem flexibilizando o isolamento desde o dia 2 de junho. A retomada foi dividida em seis fases, com previsão de duração de 15 dias cada, caso a curva de contaminações e mortes por covid-19 se mantivesse estável. 

Mas houve mudanças. A volta às aulas nas escolas particulares, por exemplo, foi liberada pela prefeitura, mas proibida pela Justiça.

Na última segunda-feira, 10, Crivella anunciou que a praia seria dividida em "cercadinhos" a serem reservados por um aplicativo para permitir a permanência de banhistas na areia sem aglomeração. Na última sexta, no entanto, a prefeitura decidiu que vai reavaliar a ideia diante das críticas geradas.

No sábado, foram reabertos os principais pontos turísticos do Rio, Corcovado, Pão de Açúcar, RioStar, AquaRio e Paineiras. Todos estão funcionando com capacidade reduzida e conforme diversas regras de segurança para evitar o contágio.

Durante a entrevista coletiva, Crivella também divulgou um calendário para o fechamento dos hospitais de campanha criados especialmente para a pandemia. O Hospital Lagoa-Barra, que tem 100 leitos e enfermaria e outros 100 de UTI, será fechado no próximo dia 20. A unidade do Parque dos Atletas seguirá funcionando até o dia 11 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.