Rio ainda sobe 5 cm por hora em SC

Oeste tem mais pessoas atingidas e no sul há risco de BR ficar alagada

Júlio Castro, FLORIANÓPOLIS, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

A previsão de tempo encoberto com chuvas ao longo dos próximos dois dias em Santa Catarina mantém os órgãos de Defesa Civil em alerta e ao mesmo tempo mobilizados para atender a população de 68 municípios castigados pelos temporais. O nível dos principais rios continua subindo. Nas cidades situadas às margens do Rio Itajaí-Açu, por exemplo, a preocupação aumenta. Em Rio do Sul, no Alto Vale, o nível sobe cerca de 5 centímetros por hora. Há registro de desmoronamentos na cidade. No bairro Canoas, duas casas foram destruídas e cinco famílias tiveram de ser retiradas do local e levadas para abrigos.

No sul do Estado, o monitoramento do Rio Araranguá está sendo feito pela Polícia Rodoviária Federal. Até o fim da tarde de ontem, mantinha-se o alerta para o risco de o rio transbordar e atingir a BR-101, entre os municípios de Araranguá e Maracajá. Nos últimos quatro dias choveu na região o equivalente ao esperado para todo o mês. A previsão do volume de chuva até domingo, deve se aproximar de 150 milímetros, com previsão de alagamentos, por causa da formação de um sistema de baixa pressão. Ainda no sul, em Orleans, o muro de contenção do cemitério da cidade desabou, destruindo duas capelas e cinco túmulos.

Conforme dados da Defesa Civil, 17.478 edificações foram destruídas completa ou parcialmente pela ação de dois tornados - em Guaraciaba e Salto Veloso - com ventos que superaram os 180 quilômetros por hora. Dados oficiais dão conta de que 88.866 pessoas foram afetadas, sendo que 16.300 permanecem desalojadas e outras 1.482 estão desabrigadas.

Na região oeste, a mais atingida, 80 toneladas de alimentos enviadas pelas Defesas Civis Estadual e Nacional já começaram a ser distribuídas às famílias atingidas. Os donativos continuam chegando à região em micro-ônibus e caminhões do Exército. Em Chapecó, também no oeste, foi montada uma central de doações na sede do Corpo de Bombeiros. Os produtos arrecadados serão levados aos abrigos de Guaraciaba, cidade com 10 mil habitantes, dos quais 9.100 pessoas foram afetadas e houve quatro mortes.

O governo de Santa Catarina ainda trabalha no levantamento dos prejuízos, mas já teve a garantia de que receberá do governo federal ajuda financeira preliminar de R$ 20 milhões. A garantia foi do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, ao governador Luiz Henrique da Silveira. Geddel assegurou que destinará todos os recursos necessários para o socorro às vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.