Fernando Maia / Riotur
Fernando Maia / Riotur

Rio amanhece sob clima de carnaval, com foliões nas ruas desde as 7h

No final de semana que antecede o carnaval, foliões desfilam em mais de 56 blocos nas ruas do Rio de Janeiro

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2019 | 15h05

No Rio de Janeiro, 56 blocos de rua esquentam a cidade para o carnaval, que começa oficialmente na próxima semana. O dia é de muito calor, mas desde as 7h os foliões estão nas ruas, deixando o centro comercial, e outras regiões da cidade, em clima de festa. O destaque desse sábado, 23, é o 'Céu na Terra', que logo cedo atraiu centenas à boêmia Santa Teresa, bairro da região central. Mas quase 60 estão programados para sair ainda neste sábado.

Reconhecido pelas fantasias criativas, coloridas, que remetem à cultura popular, o ‘Céu na Terra’ completou seu 18º aniversário com mensagens de protesto e com bonecos e cartazes que homenageiam a vereadora assassinada Marielle Franco. O debate sobre a questão de gênero está no tema da festa: 'Fé menina e fé menino'. 

"Moro aqui (em Santa Teresa) há 15 anos. Então todo ano estou aqui (no bloco). Hoje estou de girassol. Gosto porque tem marchinha, vem gente de perna de pau, de boneco de Olinda. E os músicos são todos de Santa Teresa mesmo", contou Diana Ferreira.

Já os namorados Joaquim Freire e Andressa Duarte iniciaram o pré-carnaval às 22h de ontem e, no início da tarde deste sábado, disseram não ter intenção de parar. "A gente não sabe para onde vai. A galera vai descer e a gente vai junto. Por enquanto, estamos parados recuperando energia", disse ela.

No centro histórico, na Praça XV, o bloco 'Truque do Desejo' atraiu, a partir das 10h, admiradores de grupos de pagode dos anos 1990. Ao contrário do 'Céu na Terra', esse é um cortejo pequeno e criado recentemente, há cinco anos, por um grupo de foliões que, em 2012, sem achar o bloco que procuravam, optaram por criar o seu próprio.

"O bloco surgiu com um grupo de amigos que saiu com seus instrumentos para curtir o carnaval. Agora estamos com o projeto de fazer a 'Roda do Truque', para tocar o ano inteiro. A gente prioriza o pagode dos anos 90, mas tem também os dos anos 2000. Hoje em dia, tem muito pagode bom. Neste ano, lançamos nossa primeira música autoral", contou Vicente Saraiva, produtor do 'Truque do Desejo'.

Ele criticou o governo que, em sua opinião, dificultou a realização da festa. "Teve uma mudança no decreto que restringiu a liberdade do carnaval de rua. Nós temos a estrutura das casas do Arcos do Telles (bares da Praça XV), mas há uma grande quantidade de blocos que estão sendo cancelados e impedidos de sair", protestou.

O decreto mencionado pelo produtor foi publicado no início de janeiro pela Riotur e traz uma série de exigência aos blocos com o argumento de que assim vai tornar o carnaval mais seguro. Com a mudança de regras, o blocos, mesmo os menores, passam a ser obrigados, por exemplo, a contar com infraestrutura médica, como UTIs e postos de saúde, e a pagar direitos autorais.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiro [cidade RJ]carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.