Rio apresenta por engano ''''avião'''' de colombiano

Por engano, o secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, apresentou ontem o avião bimotor PA-31 Navajo apreendido pela Polícia Federal como se fosse do narcotraficante Juan Carlos Ramírez Abadía. Na realidade, o avião é de outro traficante preso, Gustavo Duran Bautista, que também é colombiano. Depois da apresentação, a Secretaria de Segurança Pública divulgou nota para esclarecer o erro: "Houve uma confusão de nomes por conta de investigações que buscam provar a ligação entre os dois traficantes. A Secretaria pede desculpas." O avião será utilizado pelo Grupamento Aéreo e Marítimo (GAM) da Polícia Militar do Rio em operações de deslocamento de presos, transporte de policiais em missões, mapeamento de favelas e monitoramento de queimadas e até em transporte de órgãos para transplante."O Rio será o fiel depositário durante o processo contra o narcotraficante. Após o julgamento, nós vamos trabalhar para o perdimento (posse definitiva) desta aeronave para o Estado do Rio", afirmou Beltrame.Com capacidade para seis passageiros e dois tripulantes, a aeronave é avaliada em R$ 400 mil. O bimotor se juntará no GAM ao modelo Baron 58, avaliado em R$ 150 mil, apreendido há cerca de dois anos entre os bens do traficante e homicida Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.