Rio: cinco morrem em confronto com a PM em favelas

Uma intensa troca de tiros entre traficantes e policiais militares, por volta das 20h desta terça-feira, terminou com cinco pessoas mortas e outras 12 feridas, no complexo de favelas do Alemão, no Rio de Janeiro. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram acionados para dar apoio a colegas do Posto de Policiamento Comunitário da região. Mesmo com a invasão dos PMs, traficantes continuaram abrindo fogo contra os oficiais e o tiroteio se intensificou. As 12 pessas feridas foram encaminhadas ao Pronto Atendimento Médico do bairro de Del Castilho e para o Hospital Geral de Bonsucesso. Os cinco mortos tinham ligação com o tráfico: quatro estavam na favela da Fazendinha e o outro na de Vila Cruzeiro. Policiais militares informaram que seis fuzis foram apreendidos durante a ação. Todos os dados foram encaminhados para o 21º Distrito Policial, localizado em Bonsucesso. Quase que no mesmo horário do confronto, outro tiroteio foi registrado entre facções rivais das favelas de Parada de Lucas e Vigário Geral, na zona Norte do Rio. Ainda não há informações se o confronto resultou e feridos ou mortos. A polícia não quis confirmar se o fato está relacionado à prisão, na noite de segunda-feira, de José Roberto da Silva Filho, o Robertinho de Lucas, acusado de ser o ex-chefe do tráfico de drogas na favela Parada de Lucas. Ele estava solto desde 2002, quando sua condenação por tráfico foi anulada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Robertinho é apontado como responsável por diversas ações ousadas: teria mandado derrubar com um caminhão uma parede da carceragem da Polinter, em outubro de 2001, para libertar 14 comparsas. Em julho do ano passado teria comandado uma invasão à favela de Vigário Geral, vizinha e dominada por uma quadrilha rival. A ação acabou com oito mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.