Rio conta com ajuda do governo federal para vítimas da chuva

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), disse neste domingo que o Estado vai receber recursos do governo federal por meio de uma Medida Provisória para recuperar as áreas atingidas pelas fortes chuvas no Rio, principalmente a Região Serrana, e dar assistência aos desabrigados e desalojados. Ele estima que a medida será editada em, no máximo, 48 horas. Só o Estado precisará de R$ 35 milhões para reparo de estradas e pontes. "Estamos enfrentando problemas sérios do ponto de vista financeiro no Rio de Janeiro", declarou o governador. "Não tenho a menor dúvida de que o presidente da República e seus ministros sensíveis ao problema do Rio darão o apoio necessário por intermédio de uma medida provisória para suprir as necessidades do Estado".Atendimento aos municípiosO ministro da Integração Nacional, Pedro Brito, disse que saiu da reunião com idéia do que é preciso ser feito para atender os municípios da região. "Queria aproveitar o resumo do governador para realçar um ponto importante que é a determinação do presidente Lula. A disposição do governo federal é dar atendimento às necessidades levantadas".Segundo o ministro, o secretário Nacional da Defesa Civil, coronel Jorge Pimentel, junto com todos os prefeitos, fará neste domingo um levantamento das necessidades específicas de cada um dos municípios atingidos "para que o governo federal possa fazer a alocação correta de recursos"."Já tem recursos liberados para atender às necessidades das pessoas desalojadas com colchonetes, cestas básicas e remédios. Temos que levantar as necessidades separando aquilo que é obrigação do Estado, e dimensionar a necessidade de recursos dos municípios, casas que precisam ser reconstruídas, acostamentos que precisam ser recuperados".O governador desembarcou de helicóptero em Nova Friburgo por volta de 15h30. Ao lado do ministro, visitou o bairro Floresta, no distrito de Conselheiro Paulino, onde três crianças morreram soterradas depois que um barranco atingiu a casa onde moravam. Do alto de uma encosta, inspecionou a área atingida e mostrou-se impressionado com os estragos causados pelas chuvas. No local, disse que tomaria providências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.