Rio de Janeiro teve madrugada violenta

Tiros de fuzil, granadas e confrontos entre traficantes e policiais marcaram o domingo e a madrugada de hoje no Rio de Janeiro. Na favela Vila Juaniza, por volta das 17 horas, traficantes dispararam tiros de fuzil e lançaram uma granada contra policiais militares do 17º Batalhão (Ilha do Governador). Já a Linha Amarela, principal via de ligação entre as zonas norte e oeste da cidade, foi interditada por uma hora por causa de outro tiroteio entre traficantes e policiais.O confronto na Ilha do Governador começou depois do enterro de Enilson da Silva, de 22 anos, por volta das 17 horas. De acordo com moradores, ele estaria pintando a rua para a Copa do Mundo, quando policiais militares chegaram atirando. Revoltados, os moradores - incentivados pelos traficantes - fecharam a Estrada das Canárias, que dá acesso ao morro, e queimaram pneus e caixotes. A troca de tiros não havia terminado até as 18h30. Um carro da polícia - em que estava o comandante do batalhão, tenente-coronel Mário dos Santos Pinto - foi encurralado no local conhecido como Cajueiro. Os policiais pediram apoio a outros carros da polícia enquanto respondiam aos tiros dos traficantes.Linha Amarela Cinco dias após o assassinato do executivo paulista Marcelo Morais, de 31 anos, a Linha Amarela, ligação entre as zonas norte e oeste, foi cenário de novas cenas de violência na madrugada de ontem. O confronto entre traficantes de duas favelas do Complexo da Maré e PMs fez com que um trecho da via fosse interditado 3 e 4 horas da manhã. A própria PM sugeriu a interdição à empresa que administra a estrada, como medida preventiva, para evitar que balas perdidas atingissem pessoas de passagem pelo local. A troca de tiros começou depois que policiais do Grupamento Especial Tático Móvel (Getam), que patrulhavam a região em um carro, foram surpreendidos por traficantes das favelas do Morro do Timbau e da Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, zona norte. Acuados, os PMs pediram reforço pelo rádio. Homens da 8ª Companhia Independente da PM, do 17º, do 18º e do 22º batalhões foram para o local. Um carro da polícia teve o vidro traseiro atingido por uma bala de fuzil. Ninguém foi preso.Diretor de compras da Sam´s Club, loja da rede americana de supermercados Wal-Mart, Marcelo Morais foi morto na noite da última quarta-feira, após tentativa de assalto. Para o comandante-geral da PM, coronel Francisco Braz, os confrontos ocorrem porque a polícia está "cada vez mais fechando os espaços para os marginais". Braz afirmou que os motoristas devem continuar usando as linhas Vermelha e Amarela porque a PM estará presente para garantir a segurança dos cidadãos, mas disse que a "tranqüilidade pública" não depende só da corporação. "Vamos reconhecer que essas armas que estãos nas comunidades não entraram há 30 dias, que é meu período de comando, mas há muito tempo. Isso pressupõe uma série de falhas que têm que ser percebidas."Morro da ProvidênciaÀ tarde, agentes da Subsecretaria de Inteligência (SSI) prenderam o armeiro do Morro da Providência, o traficante Renan Araújo Carvalho, o Fera, de 29 anos, suspeito de ter ligação com o Primeiro Comando da Capital. Uma ligação ao Disque-Denúncia informava que havia drogas e armas na casa 181, da Ladeira do Barroso, onde Renan morava com o padrasto e a mãe.O traficante chegou a franquear a entrada dos policiais, e garantiu que era inocente. Mas os agentes encontram três quilos de cocaína, carregadores e farta munição para diversos calibres encondidos em um fundo falso de armário. Algumas casas adiante, em frente ao número 195, os policiais apreenderam 10 quilos de cocaína e 1.500 munições para diferentes tipos de pistolas, revólveres e fuzis, ocultados na caixa de luz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.