AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Rio descredencia BB para pagamento de funcionários

O prefeito do Rio, César Maia (PFL), descredenciou o Banco do Brasil (BB) para o pagamento de funcionários públicos municipais, pensionistas e prestadores de serviço. De acordo com Maia, a instituição teria feito saques indevidos na conta da prefeitura. O BB publicou um comunicado hoje, informando que a cobrança era prevista no contrato de renegociação da dívida do município com a União e lamentou o cancelamento, que envolve uma quantia de R$ 3 bilhões, segundo a prefeitura.A rescisão do contrato da prefeitura com o BB foi motivada por uma divergência entre a prefeitura e o Ministério da Fazenda. A União cobrou o pagamento de 20% da dívida do município até março, mas ele entendeu que esse prazo deveria ser estendido até novembro. Maia recorreu à Justiça.O prefeito do Rio acredita que, enquanto não saísse a decisão judicial, o banco não poderia fazer débitos na conta da prefeitura. Mas, de acordo com a nota do BB, que figura como Agente Financeiro do Tesouro Nacional na renegociação do débito do município, a União determinou que a instituição financeira estatal cobrasse a parcela devida do município.Como não houve o pagamento, a "União determinou ao Banco do Brasil que, na forma do referido contrato, realizasse o débito nas contas daquela municipalidade", diz o texto.O secretário de Administração do Estado, Antônio Pedro Índio da Costa, disse que os funcionários públicos municipais não serão prejudicados com o cancelamento do contrato. Costa informou que os funcionários podem transferir as contas para os dez bancos que estarão credenciados até dia 7. O salário de maio, feito em junho, ainda será pago pelo BB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.