Rio do Sul foi a cidade mais atingida pela chuva

As ruas foram ocupadas pela água dos rios da região que transbordaram

Carla Cavalheiro, Especial para o Estado

10 Setembro 2011 | 13h40

A cidade de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí foi a mais atingida pela chuva da semana em Santa Catarina. As ruas foram ocupadas pela água dos rios da região que transbordaram. Desde sexta-feira à tarde a Defesa Civil estadual começa a atender os moradores desabrigados e desalojados que ainda terão que conviver mais alguns dias sem os serviços básicos de água e luz que precisam que a água baixe totalmentepara serem restabelecidos.

Pelo menos 50 mil pessoas foram afetadas pela cheia do rio Itajaí-Açu, que divide a cidade ao meio. Outras 10 mil pessoas foram desalojadas e três mil perderam suas casas. Muitas dessas pessoas foram tiradas de barcos das residências quando a água atingia o telhado e levadas para 20 abrigos montados às pressas em regiões altas da cidade.

“Foi realmente um cenário de tristeza e devastação. Com o processo de baixa do rio vamos imediatamente agir em Rio do Sul e nas outras cidades para que essas pessoas possam retornar à rotina com a maior brevidade possível”, comentou o governador Raimundo Colombo.

Dados da Defesa Civil municipal de ontem indicavam que 80% das casas de Rio do Sul ficaram embaixo d’água. O nível do rio que chegou a quase a 13 metros e de acordo com Décio Brasil, comandante do Exército no sul do Brasil, a atuação na região de Rio do Sul foi rápida.

“Conseguimos agir com a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros e retiramos as famílias que estavam em área de risco antes que a água invadisse de vez a cidade. Esses resgates foram fundamentais para que as famílias ilhadas não representassem hoje estatísticas piores das que estamos verificando em essa tragédia das águas em Santa Catarina”, explicou.

Além da região cortada pelo Rio Itajaí-Açu, outras partes do Estado também foram afetadas pela chuva. Na Grande Florianópolis, queda de barreiras e alagamentos resultaram em transtornos a pelo menos cinco mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.