Rio e Distrito Federal têm mais funcionários punidos

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2010 | 00h00

O secretário executivo da Controladoria-Geral da União (CGU), Luiz Navarro, reconhece que o número alto de punições dentro do serviço público federal representa uma elevada incidência de problemas. Mas avalia também que isso prova que "o governo está punindo cada vez mais as irregularidades". Mesmo tendo essa avaliação, Navarro admite que ainda é preciso intensificar as ações de fiscalização dentro da máquina administrativa.

"Sempre precisamos melhorar esse tipo de trabalho. Necessitamos, cada vez mais, ampliar o número de pessoas qualificadas, que sejam capazes de identificar fraudes ou outros problemas que possam estar acontecendo dentro dos órgãos públicos", diz.

Neste ano, as 201 punições já determinadas pelo governo federal são divididas em 163 demissões, 25 destituições de cargos em comissão, além de 13 penas de cassação de aposentadorias.

A CGU também registra desde janeiro de 2007, as incidências de punições a servidores aplicadas por Estados. O Rio de Janeiro aparece como o líder desse ranking, com 258 casos e é seguido pelo Distrito Federal, com 224. Por serem a ex-capital e a atual do Brasil, as duas unidades federativas concentram a imensa maioria das sedes dos órgãos da administração federal. São Paulo aparece em terceiro nesse levantamento, com 128 casos, e o Amazonas surge em quarto, com 86. / M.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.