Bandidos atacam ônibus no RN após instalação de bloqueadores de celular em presídio

Governo do Estado pode pedir reforço ao Ministério da Justiça e Forças Armadas

Monica Bernardes, Especial para o Estado

30 Julho 2016 | 15h46

NATAL - A instalação de bloqueadores de sinal de celular no presídio de Parnamirim, no Rio Grande do Norte, tem causado rebelião de criminosos e até ataques violentos a ônibus, veículos particulares, escolas e pontos comerciais no Estado desde esta sexta-feira, 29. Neste fim de semana, parte do comércio foi fechado nas principais ruas de Natal, região metropolitana e municípios do interior. Se os ataques persistirem,  o Governo do Estado pode pedir de reforços ao Ministério da Justiça e Forças Armadas, a qualquer momento. 

Nos presídios da região, o alerta contra rebeliões está no grau máximo. Na manhã de sexta-feira, 29, a Secretaria de Segurança do RN anunciou a prisão de 13 pessoas, que teriam participado dos ataques. Entre a população, o clima é de intranquilidade e muitas famílias preferem permanecer dentro de casa. A Secretaria de Segurança orientou a população a ligar para o telefone 181 para denunciar pessoas que estejam envolvidas com o vandalismo.

Segundo a PM, os vândalos agem sob o comando dos presidiários. Durante mais de cinco horas as empresas de ônibus recolheram as frotas, deixando a população sem assistência. Uma base da Polícia Militar, localizada no bairro das Rocas, foi alvo dos bandidos. De acordo com informações da PM, durante a madrugada criminosos tentaram incendiar a base jogando um coquetel molotov no trailler policial. O fogo foi controlado e não chegou a danificar o trailler. No município de Jardim de Piranhas três ônibus escolares também foram incendiados por volta das 2h. Eles estavam estacionados no pátio da prefeitura. Uma retroescavadeira e um trator também foram queimados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.