Rio imita São Paulo e cria o Linha Direta para maus policiais

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus (PSB), disse neste domingo que vai encaminhar esta semana à Assembléia Legislativa um projeto de lei inspirado em programa do governo de São Paulo para apressar o processo de afastamento de policiais e funcionários públicos acusados de corrupção.A medida foi anunciada um dia depois de a Corregedoria da Polícia Civil encontrar várias regalias compradas com o suborno de policiais, de acordo com a investigação, na carceragem Ponto Zero da Polinter. No local, especial para presos com diploma universitário, estão detidos os fiscais de renda acusados de envio ilegal de dólares para a Suíça durante a gestão de Anthony Garotinho, marido de Rosinha e atual secretário de Segurança.?O programa vai ser apelidado de Linha Direta. Vamos encontrar mecanismos para agilizar o afastamento dos funcionários públicos que não têm conduta adequada para sua função", disse Garotinho. O projeto tem o mesmo nome usado por um programa policial da TV Globo no qual a população pode denunciar criminosos.O secretário admitiu que o projeto é inspirado no programa via rápida, criado pelo governo de São Paulo. ?É parecido com a via rápida de São Paulo, mas eu diria que tem aspectos mais amplos. A via rápida, que foi muito importante para o Estado de São Paulo, serviu até de modelo para nos inspirar, mas é um avanço em relação a esse projeto.?As medidas foram anunciadas durante o lançamento de projetos sociais no complexo da Maré. Em discurso, Garotinho incentivou moradores a delatar policiais corruptos que atuam na favela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.